Aprendendo a respeitar as diferenças

O objetivo deste blog é falar sobre moda e beleza; eu sei. Mas hoje senti vontade de desabafar e falar sobre diferenças. E é aí que nasce a “coluna” de Pensamentos & Desabafos do blog. Espero que gostem!

Nosso mundo, as pessoas em geral, precisam aprender a respeitar, de uma vez por todas, as diferenças. Bullying, infantilidade, racismo, preconceito, qualquer tipo de intolerância etc, tudo isso está tão démodé. Acho que falta muita educação, valores éticos e morais.

“ACEITAR É UMA ESCOLHA SUA. RESPEITAR É O DEVER DE TODOS.”

Nós sabemos que onde houver seres humanos, sempre haverão pessoas que não saberão lidar com as diferenças, mas tá difícil, viu, Brasil (especialmente Rio)?!. Que mente tacanha é essa, minha gente? Sigo a seguinte filosofia: se você não tem nada de bom, agradável e belo para dizer ao outro, cale-se. Não diga nada. Aliás, o ditado diz “quem fala o que quer, ouve o que não quer”! 😉

Estou cansada de pessoas medíocres que não respeitam a raça/etnia do outro, o peso, o estilo de se vestir e o de vida, a orientação sexual, a religião…pessoas que não respeitam qualquer coisa que seja um pouquinho diferente do pequeno e desprezível mundinho delas.

Vamos nos libertar!!! O que importa é que estejamos bem da forma em que nos sentirmos melhor!

  • Quer usar batom escuro ou colorido? (Isso também serve para cortes de cabelo e tonalidades diferentes) Use e arrase! Não importa se o outro não gosta, acha estranho ou queira dizer o que você deve fazer ou não. Mulheres do mundo, precisamos nos libertar! Eu sempre usei todas as maquiagens do mundo que quis e meus batons coloridões, mas sei que tem muita mulher que acha lindo, mas não usa porque tem medo da reação das pessoas. O outro não importa. O que importa é o seu bem-estar. Pra quê viver uma vida tentando agradar ao outro, se nem Cristo agradou à todos? Certa vez, li que opiniões e julgamentos são apenas palavras soltas no vento. Elas não definem quem você é.
  • Está acima do peso ou muito magra, seja feliz assim! Aceite-se. Não precisamos ser escravas da mídia, dos padrões de beleza impostos. Nunca nada vai estar bom para pessoas infelizes que estão sempre julgando os outros. Se você é super magra, sempre vai ter alguém para perguntar se você está doente ou dizer que você está cadavérica. Se você está acima do peso (e o que é o peso ideal? cada um sabe o seu), também sempre vai ter alguém pra te chamar de gorda, desleixada, nojenta, largada. Vamos ser mais amorosos com nossos semelhantes! Parece discurso clichê, da “Era de Aquarius”, mas é isso mesmo. Se ninguém pediu a sua opinião ou se da sua boca só saem palavras que irão ferir o outro, para quê falar? Para diminuir o outro e se sentir melhor? Isso é muito pequeno!
  • Tem a pele muito branca ou negra e tem vergonha dos outros? Que se dane o mundo! Nunca vi cidade tão preconceituosa como o Rio de Janeiro. A minha vida inteira fui chamada de “branca azeda”, “gasparzinho”, “fantasminha”, “vampira”, “leite”, “desbotada” e daí pra pior. Na escola, na faculdade, no trabalho, na rua, em todos os lugares. Não, eu não “preciso tomar sol”, não “preciso pegar uma corzinha”, também não “preciso ir à praia”. Não preciso simplesmente porque eu amo ter a pele alva que tenho. Amo cuidar da minha pele e prevenir o envelhecimento precoce. Amo as minhas raízes européias e me aceito como sou. Não, não gosto de calor e verão. Também não curto praia lotada e no Rio; só se for numa ilha ou lugar bem afastado. Ninguém “tem que” nada. Do mesmo modo que as pessoas de pele muito clara sofrem esse preconceito no Brasil, não preciso nem mencionar o que o negro sofre. E, muitas vezes, preconceito de outro negro mesmo.  Chega, gente! Somos todos iguais – caucasianos, negros, amarelos, pardos, de pele vermelha etc etc etc. Não é porque o outro é fisicamente diferente de você ou do seu círculo de amizades e família, que você precisa atacar. Esse tipo de comportamento é tão retrógrado. Apenas aprendam a conviver, aceitem e RESPEITEM!
  • É homossexual, bi, hetero, trans etc? Viva a sua vida e vá ser feliz como é! Ninguém tem NADA a ver com isso. Eu sei que é muito difícil conviver com esse tipo de preconceito, mas não podemos desistir e nos entregarmos ao olhar e à opinião do outro. As coisas no mundo estão acontecendo muito rápido. Não há tempo a perder. Sejamos felizes!
  • Não bebe álcool, é vegetariano, não fuma, não se droga etc? Outra coisa que as pessoas também não conseguem respeitar. Eu bebo pouco álcool e já cheguei a ser chamada de herege (isso mesmo! hahah), porque não enchia a cara várias vezes por semana. Sei que quem não come carne ou tenha feito qualquer outra restrição na sua dieta alimentar, sofre muito com isso. Se você não fuma e/ou nunca se drogou, pode se enforcar, porque a “Inquisição” não vai te perdoar, seu E.T.! kkkk Estou rindo, mas é sério. Por que é tão difícil aceitar quem não é exatamente igual a você? O ser humano está muito pequeno. O outro não precisa ser uma fiel cópia sua (em todos os aspectos), para você aceitá-lo. Se eu só fosse procurar amigos exatamente iguais a mim, já tinha morrido de tédio. Que chato seria a vida assim…
  • Isso sem falar do cabelo branco. Sim, sobre assumir cabelos grisalhos. Tenho visto cada vez mais um movimento de mulheres jovens a favor de não virar escrava da tintura e assumir SIM os fios brancos. Eu, particularmente, acho que irei sempre pintar, pois acho mais bonito assim. Não sei se um dia mudarei de ideia. Mas não é por isso que vou julgar alguma amiga minha e dizer “Nossa, você tá uma velha! Relaxou, amiga? Seu marido/namorado não vai te querer mais, cuidado!”.
  • E , para finalizar, sobre ter filhos (vários) ou não ter nenhum. Outro tema que as pessoas SEMPRE irão julgar. Se você tem filhos e possui uma carreira, vão te julgar, porque você não é uma boa mãe que está em casa cuidando da cria. Por outro lado, no trabalho podem dizer que você não está se dedicando à carreira (isso para não mencionar a crescente quantidade de mulheres demitidas após o retorno da licença-maternidade, em pleno século XXI!). Se você opta por não ter filhos, nossaaaa…”que mulher sem coração”, “como alguém pode não querer ter filhos?”. Mesma coisa para as mulheres contemporâneas e independentes que decidem serem mãe solteiras ou fazer inseminação etc. Sempre vai ter uma carola pra te dizer que aquilo “não é normal e nem de Deus”. Ou seja, nunca vai estar “bom” pro outro que julga, então vamos ser felizes como bem entendermos!!! LIBERDADE.

A vida passa muito rápido, num piscar de olhos, para vivermos preocupados com o olhar externo. Viva cada momento da sua vida sendo livre e da forma que te faz mais feliz, dando o MELHOR de você e não fazendo (e desejando) ao próximo o que não queremos para nós mesmos! E lembre-se, tudo no universo que VAI, VOLTA. Portanto, cuidado com suas ações, pois sempre haverá uma reação.

Follow:

6 Comments

  1. Marcelo
    29 de dezembro de 2016 / 8:57 pm

    Li todo o post. Um texto verdadeiro e lúcido. Não é só o Rio de Janeiro que está assim, mas sei que você sente isso “in locus” porque vive aí.
    A vida seria tão mais simples se cada pessoa vivesse sua própria vida! É uma questão simples de ética cuidar bem da própria vida e deixar que as pessoas façam suas escolhas e vivam livres suas vidas.
    Parabéns, amada amiga! Meu amor e apoio hoje e sempre.

    • Patrícia
      31 de dezembro de 2016 / 6:36 pm

      Obrigada pela visita ao blog, querido amigo.

  2. Patrícia Pessoa
    29 de dezembro de 2016 / 9:24 pm

    Patty, parabéns pelo texto. Sempre acompanho e amo suas postagens e agora falando de uma realidade tão nua e crua. Realmente isso não acontece só no Rio de Janeiro, mas em todo Brasil. Falta educação, falta princípios, falta se colocar no lugar do outro. Mas como disse, tudo que vai, volta, fazemos nossa parte da melhor maneira possível e quem nos faz mal não precisamos fazer nada, o destino encarrega. Feliz Ano Novo!

    • Patrícia
      31 de dezembro de 2016 / 6:36 pm

      Obrigada, Pat! Muito bom receber esse tipo de feedback :).

  3. Valeska
    30 de dezembro de 2016 / 8:54 am

    Muito legal Paty.
    É por aí mesmo.
    E acho que essa nova vertente do Blog vem acrescentar o que ele já tem de bom.
    Parabéns, “branquela” linda!!!! Rsrsrs

    • Patrícia
      31 de dezembro de 2016 / 6:35 pm

      Que bom que gostou, primovska!! Obrigada pela visita :).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *